empurrãozinho

outro dia li um post no “Redatoras de Merda” muito bacana.
pra ler, clique aqui.
o principal, o que é base para esse texto, é basicamente o que está nos 2 primeiros parágrafos.
uma das redatoras [não sei se a elisa, ou a valeria] conta a atitude de uma criança, quando ela também era criança.
e fiquei pensando não no que houve com a redatora, mas na atitude da criança citada.

muitas vezes, quando penso na minha infância, lembro de situações como as do texto.
mas variavelmente, estou em algum dos dois papéis.
por vezes, sou o confrontado e a “vítima”.
em muitas outras, sou o babaca, que tomou atitudes absurdas frente a diversas situações.

fico me perguntando: o que leva uma criança a agir assim?
será que ela tem consciência do que está falando?
não no sentido apenas do objeto de sua fala, mas será que ela entende que quando ela fala, há implicações e conseqüências que fogem de seu controle?

eu acho que não.
se mesmo “adultos” muitas vezes falamos coisas sem medir o impacto daquilo, quanto mais quando somos crianças.
diz-se muito da inocência e pureza das crianças.
da sinceridade, perdão, etc.
existe muito disso nas crianças, mas já vi crianças que ao mesmo tempo que demonstravam essas virtudes, em dados momentos eram cruéis, desumanas e perversas.
é só ver quando discutem.
trazem à tona o que há de pior dentro delas e dentro da outra criança.
se sabem que os pais do outro são separados, por exemplo, dizem “é, pelo menos meus pais me amam e vivem juntos”…
ou quando não querem que a outra criança mexa com seus brinquedos.
não há nada de puro, inocente e beleza nesses atos.

voltando…
lembro de momentos em que eu fui assim.
e sinceramente, não sei o que se passa na nossa cabeça nessas horas.
quando adultos, ainda assim é difícil, mas com um pouco de terapia e auto-conhecimento, acabamos entendo como aquilo surgiu.
mas sendo crianças, a única hipótese que tenho é que duas coisas acontecem.

a primeira é que alguma coisa nasce com a gente, que com muita natureza e facilidade, temos atitudes desprezíveis.
basta um empurrãozinho.

e a segunda é esse empurrãozinho.
é simples.
basta ver a propaganda “children see, children do”.

http://www.youtube.com/watch?v=7ZscS775ek8

quanto ao que nasce com a gente, não há muito o que fazer.
mas acho que a gente pode se esforçar um pouco no ítem “empurrãozinho”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s