Pode beijar a noiva

Uma matéria de três semanas atrás, do G1, chamou a minha atenção: uma mulher que decidiu se casar com a Torre Eiffel. Durante a matéria, o G1 ainda dá exemplo de uma outra que se casou com o Muro de Berlim. Inclusive, o marido da segunda, foi literalmente objeto de analogia, para a esposa do Sr. Eiffel: “Sou como o Muro de Berlim. Deteste-me, tente me destruir, mas estarei sempre lá, de pé”. Gostei. [Da frase, lógico. O Muro não é/foi uma coisa legal].

O que me incomodou foi a seguinte afirmação: “Em todo o mundo, há cerca de 40 pessoas que sofrem desse mesmo problema, todas mulheres”. No jornalismo a gente não pode dizer as coisas pelo que considera, ou utilizar adjetivos. Perceba que os meios de comunicação mais ‘sérios’ fazem isso. Se alguém diz “sofrem desse mesmo problema”, tem que vir algo em seguida [ou antes] mostrando que aquilo é, de fato, um problema.

A questão é que a declaração do psiquiatra, dizendo que essa é uma forma das pessoas quererem controlar seus relacionamentos, não diz, necessariamente, que isso é um problema.

Essa é uma mania do ser humano querer dizer como as coisas devem ser. Tudo bem que se alguém decidir casar com a Ponte Estaiada Octavio Frias de Oliveira não será considerada normal, mas o que é normal? Não vou entrar no mérito do “De perto, ninguém é normal”, mas na questão do “O que é normal?”.

Poxa, a mulher tem uma queda pela Torre Eiffel. E daí? Quem sabe, de verdade, as situações pela qual ela já passou, as decepções que teve, os sofrimentos infligidos, o amor desiludido que talvez tenha tido? Ela decidiu ter um relacionamento em que pode controlar a situação, do jeito que bem entender. E daí?! Quem pode afirmar que nunca quis controlar a relação, da forma que melhor entendesse? Quem pode afirmar que nunca pelo menos tentou fazer isso, mesmo que se arrependendo depois e percebendo que as coisas não são bem assim?

Não sei se alguma dia ela vai perceber que um relacionamento entre seres humanos pode machucar muito e pode ser frustrante por não ter o controle absoluto da situação, mas que justamente por isso, é algo genial e arrebatador. Pode ser que não perceba, ou pode ser que ela discorde disso.

Mas quem é são, de mente e coração, e digno o suficiente, para julgá-la e dizer “Você tem um problema”?

Anúncios

Uma resposta para “Pode beijar a noiva

  1. Eu tenho váááááários problemas. E eles me dão insônia. Com quem/o quê eu caso?!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s