Como falo [ou escrevo]

Talvez esse texto não lhe interesse em nada. Talvez interesse porque você é meu amigo e só por isso. Mas eu fiquei pensando no processo de se escrever. E hoje, o texto é sobre isso [esse artifício é conhecido como “metalingüagem”. Você fazer um filme que fala sobre filmes, por exemplo, é a mesma coisa. Capisce? Então bora lá].

1 – Minha mente é um lugar insano. Eu não sei muito bem como funciona, como é que me inspiro, o que me faz ter [na minha concepção] boas idéias, etc. Ou seja, se não sei como acontece, não sei explicar. Mas posso tentar a partir de como ‘surgem’ as coisas. Eu vejo coisas que chamam a minha atenção e anoto. Eu ouço coisas que chamam a minha atenção e anoto. São conversas alheias, são frases em conversas que participo, trechos de música ou o William Bonner. Porque quando a Fátima Bernardes fala, não consigo tirar os olhos da boca dela. São incrivelmente tortos, já reparou? E o cabelo do Bonner, com aquele tufo grisalho à lá Mr. Sheffield? Acho incrível como a Globo, com todo o ‘padrão Globo de jornalismo’, deixe duas pessoas com falhas tããão horrorosas [/ironia] e perceptíveis ficarem no controle da hora mais cara da TV brasileira. Ou seja, é assim que minha cabeça funciona, percebe? Totalmente sem foco. Por isso, preciso anotar.

2 – Um tema/assunto perambula por esse caos durante um tempo. Volta e meia, me pego pensando nele. Pode ser uma vez por mês ou uma vez por minuto. Mas isso não mede a relevância do assunto. Por exemplo, outro dia escrevi um texto sobre algo que permeia meus pensamentos há uns 3 anos. E foi algo totalmente novo. OK, talvez nem tanto. Eu já havia abordado a situação, mas nunca tinha chegado a uma analogia tão ideal, digamos assim.

[Há um ponto intermediário, que não posso dizer que são “as vozes”. Como tenho sérias dificuldades em me concentrar em duas coisas ao mesmo tempo, só ouço uma voz por vez. Porém, não há hierarquia. Quem grita mais alto tem a palavra. E lógico, tem a minha própria voz no bolo, para falar mais alto que todas. Mas é difícil conviver com tanta coisa na cabeça.]

3 – E o Big Bang acontece. Junte o tópico 1 com o 2 e você entenderá um pouco do que acontece na cabeça. De repente, vem um texto. Não vem o tema, um assunto a ser abordado ou um trecho que faça parte do texto. Nem mesmo um ‘mote’ ou ‘inspiração’. Esse estágio já se afundou no segundo ponto. Vem o texto completo. Em blocão mesmo. Pode ser que venha zipado, mas ele está todo ali. O ato de escrever, em si, para mim não é algo complicado. Só preciso que o texto fique pronto na cabeça e depois é só sentar e digitá-lo. Eles saem de uma só vez. Sento, digito e pronto. Pode ser que no meio do processo precise interromper para fazer alguma coisa, mas como o texto já está pronto [na cabeça], quando voltar, é só continuar de onde parei.

Porém, o processo de chegar a isso é que demora. Preciso da inspiração, dos temas marginais [exemplos, analogias] e preciso, de verdade, montar o texto na cabeça. Passo dias parecendo que estou falando sozinho quando, na verdade, estou é ditando para meu cérebro o texto. As frases vão aparecendo da mesma forma que no Word, letra após letra, frase após frase. Com pontuação e tudo. Esse parágrafo que você está lendo já existe há alguns dias, talvez semanas, na minha cabeça. Eu já sabia que ia escrever essa frase e que ela terminaria aqui.

Mas há efeitos colaterais [obrigado por lembrar a palavra, Vivs]. Por exemplo, Carol, minha esposa, me disse algo interessante outro dia. Eu comentei com ela que as pessoas sempre me dizem que no MSN eu consigo escrever como falo. Ou que gostam de ler meus textos porque parece que estou falando. E ela disse: “Na verdade, você fala como escreve. É o contrário. Muitas vezes, você falando comigo, parecem frases digitadas e montadas num texto e quando te ouço falando, parece que estou lendo”. Admito que fiquei assustado. Porém, efeitos colaterais sempre teremos. Acho que prefiro ter essa facilidade em escrever e viver com essas loucuras na minha mente. Mesmo porque, só Carol que fez essa observação, até hoje. Quer dizer que eu engano bem na loucura. E enquanto estiverem me comprando/aceitando, mando bala!

Anúncios

4 Respostas para “Como falo [ou escrevo]

  1. Jantar em casa. Casal 20 na tv. Mãe falando como louca sobre alguma coisa que eu só estou concordando e nem sei sobre o que se trata.

    Fátima Bernardes: Ataque terrorista no Sudão mata 5 pessoas.
    Mãe: Bla bla bla (entendeu de onde surgiu a prof do Charlie Brown?)
    Vivs: Gente! Que lindo o esmalte da Fá (intimidade, né? Afinal eu falo ‘boa noite’ pro marido dela todo dia)! Eu quero esse esmalte! Como faz?
    Mãe: Eu estou te contando uma coisa!
    Vivs: Ai, mãe! Presta atenção! Olha essa blusa da Fá com esse terninho. Não tá rolando! E o que raios ela fez no cabelo?! Progressiva mal feita!
    Pai levanta para aumentar o volume da tv, pq afinal, ele é o único que assiste JN e presta atenção nas notícias. Minha irmã só abaixa a cabeça e come. =P

    E é isso sempre. Ou seja, divertidíssmo viver comigo! =D

  2. Adorei o post.
    Será que esse é um processo comum a grandes jornalistas ou você é que é louco mesmo ?!?!?
    rsrsrsrs

    ps.:
    Vivs!
    Não sei se é verdade, ou se a minha amiga consegue por outras vias…mas ela diz que a Globo tem uma ‘central de atendimento ao cliente’ que diz onde encontrar tudiiiinho que você vê nas programações.
    Do anel da personagem da novela X…ao terninho da Fátima Bernardes.
    Eles perguntam o dia em que passou a programação e bingo! dão a ficha. Sei lá se vale a pena tentar…rs

    OOoOooOOutro

  3. Ai! Então, Thatá! Uma vez a Ana Maria Braga estava usando um esmalte vermelho lindo! Aí eu mandei um e-mail lá perguntando que esmalte era. Certeza que eles iam responder algo como Vintage Red da Chanel que custa 100 reais um vidrinho de 5ml. Enfim. Estou esperando a resposta até hj. ¬¬

  4. vc deveria si preucupar com vc deixa eles dois em paz se vc tem inveja deles so pode . pq eles são os melhores jornalista e apresentadores do pais e vc morre de inveja deles dois…….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s