Like a Rolling Stone*

Rolling Stones é a banda de Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Woods. Rolling Stone pode ser tanto um membro da banda [‘Lennon era um Beatle’], como o nome de uma das revistas mais conhecidas da cultura pop. O assunto aqui é ela.

Gosto muito de ler entrevistas. “As 30 Melhores Entrevistas de Playboy” foi a primeira coletânea que adquiri. Quando soube que “As Melhores Entrevistas da Rolling Stone” estava para sair, já sabia que teria que comprar o livro, qualquer que fosse o preço. Nunca gostei de biografias. Mas era o caso do “não conheço, não gosto”. Besteira. Instigado por meu primo, passei a ler e adorar histórias reais. Sempre gostei de assistir, ouvir e ler entrevistas, então era meio claro que gostaria de biografias. No caso da Rolling Stone, as entrevistas não são tão longas quanto as da Playboy. Pelo menos, não na coletânea. Mas a vontade de se aprofundar em questões pessoais e polêmicas do entrevistado, está lá. Jann Wenner, editor-chefe da RS, inclusive, diz ter se inspirado na Playboy para realizar tais entrevistas. Eles pegaram o modelo da revista de Hugh Hefner e aplicaram ao mundo do rock e dos músicos, o que não acontecia antes. Grandes sacadas não são, necessariamente, grandes invenções. Podem ser apenas a utilização de algo existente, em uma área ainda não testada.

Ainda não li todo o livro, mas uma das entrevistas mais inusitadas, até o momento, é de Andy Warhol entrevistando Truman Capote. Na verdade, Wenner havia solicitado a Capote uma matéria sobre uma turnê dos Stones, a banda. No entanto, o jornalista acabou sem entregar nada e coube a Andy Warhol chegar e perguntar “O que houve?”. O interessante é o quanto os dois enrolam para chegar a esse assunto. Falam sobre animais, a infância de Capote, entre outras coisas, até que sentam para conversar e Warhol diz “OK, vamos às seis perguntas que Jann pediu que eu fizesse”. Ele vai seguindo o script, mas Capote entre no jogo e as responde. Andy entra no clima e começa a fazer perguntas que ele está interessado e, na verdade, vira mais um bate-papo do que uma entrevista. Com isso, acaba-se descobrindo um pouco do universo dos Stones. Lê-la após a entrevista de John Lennon, que também figura no livro, possibilita fazer fortes analogias sobre o mundo do rock, seu glamour e todos os envolvidos.

Uma máxima do jornalismo é belamente aplicada pela RS. “Se alguém não quiser te dar uma entrevista, isso será sua matéria.” Capote não entregou sua matéria. Por causa disso, entrou na seleção das melhores entrevistas da Rolling Stone.

*Já usei esse título em outra ocasião, mas aqui fica bom também.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s