Coisas que não entendo

* Aquele trânsito, todo mundo avançando nos mínimos espaços para poder andar um pouco que seja e o ‘marronzinho’ [tiozinho da CET] apitando e agitando o braço, mandando a negada andar. Sério, para que? Eles pensam que o pessoal nos carros está afim de parar o carro ali no meio e começar o happy hour?

* Conversa de elevador. Entra um grupo de advogados. “… e ele ainda queria ser [fazer] revisional de juros de uma factory!” Gargalhadas. Ser revisional de juros ou fazer revisional de juros para mim teria a mesma graça: nenhuma.

* Por que as pessoas mudam de faixa? Elas sabem o que vai acontecer e mesmo assim, depois de passar para a outra, dizem “Eu sabia! É eu mudar de faixa, que a anterior anda!” Então não mude, né? [Explicação científica (minha, claro) para isso: Você está na faixa 2 e a faixa 1 começa a andar. Mas ela não está andando só no ponto onde você se encontra. É em toda sua extensão. Ou seja, centenas de pessoas fazem o mesmo que você: mudam de pista. Quando isso acontece, o espaço que centenas de carros ocupavam está vazio. Logo… a pista andará.]

* A cidade de São Paulo é uma das mais poluídas do mundo. Fumaça a dar com pau. E o adolescentão olha para aquele palito de papel soltando fumaça e pensa: “Hum, deve ser interessante inalar isso, né?” OK, reconheço que o vício é absurdamente difícil de se largar, isso não discuto. Mas o que leva um pós-pirralho considerar jogar mais fumaça pra dentro do pulmão? Mande o moleque [ou a guria] andar 2km na Marginal Pinheiros, às 18h e pronto. Vontade saciada.

* Nunca fui assaltado. OK, eu sou grande e tudo mais, mas mesmo assim. Eu não fico com muita frescura de tirar o iPod do bolso, de atender celular, ou algo assim. Mas nunca fui assaltado. Gostaria que continuasse assim. Mesmo porque, não tenho back up das músicas do iPod e se perdê-las todas, vou chorar igual a uma criança. Se ainda fosse possível virar pro assaltante e dizer: “Ô grande, quebra essa e deixa as músicas. Pode levar o aparelho”. [Idéia genial: iPod com memória removível. Tipo um cartucho de vídeo game. Ou um CD. OK, não tão genial assim].

* Pessoas formadas em Comunicação [RP ou Jornalismo] e que dizem “asterístico”. Sério, como alguém que freqüentou um troço chamado “Curso Superior” me fala “asterístico”?! Não entendo. Me dá raiva. [Não acho que alguém que tenha faculdade seja mais inteligente do que alguém que não completou o ensino primário, por exemplo. O fato é o vocabulário, nada a ver com inteligência].

Anúncios

5 Respostas para “Coisas que não entendo

  1. Gabriel, a sua relacao com o seu iPod parece muito com a minha (e o meu iPod). Nunca usei video direito e nunca fiz backup das musicas. Sem video nenhum, ocupei um monte de GB so com mp3s que nao constavam no meu computador. Sabe o que aconteceu? Um dia na academia, todas sumiram. Pra falar a verdade ficaram umas faixas russas da minha ex-roomate que nao sei nem porque tavam la. E eu chorei como uma criancinha, por dentro pq chorar na academia e feio, o povo acha que vc ta com preguica da esteira.

    🙂

    Pior que eu nao aprendi, iPod cheio de novo, NO backup.

  2. Pensa na cena: Vivs no metro, conversando, sente alguém mexer na bolsa dela. A pessoa com quem ela conversava vai embora. A Vivs abre a bolsa em busca do iPod para ouvir uma maldita playlist com 3 músicas que nos últimos dias ela não consegue parar de ouvir. Para a surpresa dela o iPod não está no lugarzinho especialmente reservado para ele na bolsa. A Vivs sente aquele frio na espinha de “fudeu gostoso agora” e quase começa a chorar pelas músicas perdidas (no back up either, babe). Dps do pânico inicial ela lembra que deixou o iPod na gaveta do trabalho pq saiu com a bolsa pra almoçar com as chefes. ¬¬

    Pior do que ouvir ‘asterístico’ é LER ‘asterístico’. Em um release. ¬¬

  3. Vc vai perguntar o que tem a ver almoçar com bolsa ou sem, né? As pessoas levam a bolsa quando vão almoçar e são assaltadas. Só levo o necessário: crachá e dinheiro. Logicamente que quando saio com a bolsa penso “vou deixar o iPod na minha gaveta. Melhor Vivs sem bolsa, carteira, documentos, pen drive, celular e necessaire do que Vivs sem iPod”, concorda?

  4. *1 – Eu não entendo o TRÂNSITO em si…principalmente o da Faria Lima, Rebouças, Paulista, Consolação, Av. do Estado, Tiradentes…rs

    *2 – Eu presto atenção em conversa de elevador, SIIIIIM!rs e ainda interajo com caras e bocas…faço questão que as pessoas percebam que eu presto atenção. E ainda faço cara de tédio se o assunto for um porre!rs

    *3 – Eu ainda não dirijo, é verdade, mas não consigo ficar parada numa pista só o tempo todo…é por isso que adoro quando seu irmão dirige. rs

    *4 – Nunca peguei num cigarro ou em qualquer beque…não sei dizer a sensação mesmo…

    *5 – ok…não precisava dizer pra todo mundo que vc tem um IPod..hauhauhauaha

    *6- Quer dizer que se a pessoa for formada em Biologia é aceitável que ela fale ‘asterístico’?!?!rs brincadeira…eu entendi…

    Massa o post.
    Comentário grande esse meu, nÃo?

  5. vivs

    da bolsa x almoçar eu entendi. as meninas aqui do trabalho fazem a mesma coisa.

    mas eu também choraria se por um segundo sentisse que havia perdido meu iPod. outro dia aconteceu isso e era com meu pendrive. senti a espinha congelar e a barriga desandar. HD externo será minha próxima aquisição, para meu back up.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s